Como se mentalizar que está a entrar na menopausa

A menopausa é um processo lento e gradual que implica o fim da menstruação da mulher, pondo termo à sua vida fértil. Temida por muitas mulheres, a menopausa é afinal mais uma etapa natural da vida que deve ser encarada sem alarmismo nem receios infundados. A seguir vamos saber um pouco mais sobre a menopausa e descobrir de que forma ela afeta o comportamento e a forma de estar das mulheres.

Sintomas da menopausa

Normalmente por volta dos 45 anos e até aos 55 anos de idade a mulher entra na menopausa, o que equivale a dizer que quase todas as mulheres deixam de ser menstruadas por volta dessa idade. Algumas mulheres atingem a menopausa ainda com 40 anos, e nesses casos está-se em presença de uma menopausa precoce. Pode dizer-se decididamente que uma mulher está na menopausa quando regista um período de um ano completo sem ser menstruada. Antes da menopausa propriamente dita existe todo um período (a pré-menopausa) em que a mulher principia a notar irregularidade no seu período menstrual, que ora vem mais abundante, ora vem muito escasso. Algumas mulheres na pré-menopausa chegam a pensar estarem grávidas pois ficam dois ou mais meses sem serem menstruadas. É também nessa altura que algumas mulheres registam os primeiros calores súbitos e passageiros (os vulgarmente chamados “afrontamentos”), suores noturnos e alterações no humor e no sono.

Efeitos da menopausa nas mulheres

A menopausa tem efeitos a nível físico e a nível psíquico.

  • Os efeitos físicos prendem-se sobretudo com a redução de produção de estrogénio provocada pela falência dos ovários. Entre os efeitos provocados pela redução de estrogénio encontram-se os seguintes: Palpitações, secura vaginal, desinteresse sexual, calores súbitos e suores noturnos derivados à desregulação do termóstato normal do corpo, insónias, irritabilidade e nalguns casos depressão. A distribuição de gordura começa a fazer-se de forma diferente da observada até então, e muitas mulheres registam maior concentração de gordura na zona da barriga e cintura, o que provoca a sensação de inchaço tão característica da menopausa. Problemas ósseos são mais frequentes uma vez que a mulher começa a perder massa óssea, e podem surgir dores nas articulações, tendões e músculos. O sono sofre também perturbações derivadas dos suores noturnos, dos calores súbitos e da ansiedade. A pele tem tendência a secar, e o cabelo a enfraquecer. As unhas tornam-se mais quebradiças, as dores de cabeça são mais frequentes, o cansaço é maior e as infeções urinárias podem ser frequentes e repetitivas.
  • Os efeitos psicológicos da menopausa são uma consequência das perturbações sentidas a nível físico pelas mulheres. A depressão, ou a ansiedade, que ocorrem durante a menopausa podem surgir devido ao medo de envelhecer, ou motivadas pela tristeza de não mais poder ter filhos, ou ainda oriundas do receio de deixar de ser tão bonita e atraente com até então. A própria falta de sono induz à irritabilidade e à impaciência demonstradas pelas mulheres nesta fase da vida. Tanto a ansiedade como a tendência depressiva que as mulheres experimentam na menopausa pode estar ligada à quebra na produção de serotonina e dopamina, neurotransmissores responsáveis pelo humor e que dependem do nível de estrogénio no corpo (diminuído consideravelmente após a menopausa). Também a capacidade de concentração e a memória podem ser afetadas pela quebra na produção de estrogénio, e é comum que as mulheres na menopausa registem dificuldades em memorizar ou estudar.

A maioria dos sintomas e efeitos da menopausa são passageiros

A boa noticia é que quase todos os sintomas e efeitos indesejáveis da menopausa são passageiros, e vão-se suavizando à medida que o tempo passa. De todos os sintomas desagradáveis apenas as dores nas articulações se costumam manter por mais tempo. Não quer dizer que de um momento para o outro as mulheres deixem de se sentir incomodadas com os sintomas da menopausa, mas vai-se criando uma habituação do organismo à sua nova situação, o que permite uma diminuição gradual dos efeitos.

Nem todas as mulheres são afetadas de igual modo

Apesar de a maioria das mulheres apresentarem pelo menos alguns dos sintomas normalmente associados à menopausa, a verdade é que algumas mulheres não chegam sequer a sentir nenhum deles. Embora os calores súbitos e os suores noturnos sejam uma realidade para quase 80% das mulheres na menopausa, várias mulheres entram nesta fase da vida sem quase darem por isso.

É tudo uma questão de perspetiva

Se a mulher pensar que finalmente deixa de ter de se preocupar com gravidezes indesejadas, que pode por fim pôr de lado métodos contracetivos aborrecidos e incómodos, que está mais livre para poder desfrutar do seu corpo e da sua sexualidade apenas por prazer e não mais como uma forma de se reproduzir, então é bem possível que a menopausa seja encarada com positividade. Tudo depende da perspetiva como encararmos o assunto, e a menopausa não tem que ser vista como o fim de nada. Apenas se trata de uma nova fase na vida de todas as mulheres.

A beleza da mulher não tem idade

Não é porque atingiu a menopausa que a mulher deixa de ser bela, atraente e sedutora. A beleza de uma mulher não depende do seu ciclo menstrual, ou da capacidade que tem de gerar filhos. É muito possível, e muito frequente verem-se mulheres na casa dos 50 ou mais anos e que se encontram lindas e maravilhosas, por dentro e por fora. A beleza da juventude não desaparece com os anos, apenas se intensifica e amadurece, ganhando novos e mais ricos contornos.

A menopausa é um ponto de viragem, uma etapa da natureza que pode e deve ser aproveitada para que a mulher se cuide mais e melhor. Seguir uma dieta rica e equilibrada, adotar formas de vida saudáveis, abandonar possíveis hábitos nocivos de tabaco ou álcool, submeter-se a consultas e exames ginecológicos e interiorizar que a vida tem ainda muito para dar é a melhor forma de viver a menopausa em harmonia consigo mesma, e com o resto do mundo.

A sua votação: