Como lidar com as tonturas na menopausa

Mulher pensativa

Embora não seja tão falado como outros tipos de sintomas ligados à menopausa, as tonturas são mais frequentes do que imaginamos em mulheres menopáusicas. Diretamente ligadas às alterações hormonais, em alguns casos, as tonturas podem ser desencadeadas por outros sintomas da menopausa.

Tonturas terríveis

Falta de equilíbrio, cabeça leve e desorientação – é assim que se pode definir uma tontura, que surge muitas vezes quando uma pessoa se levanta ou se baixa de forma rápida. Embora seja, por norma, uma sensação rápida (alguns segundos) e passageira, as tonturas não deixam de ser incómodas e, em casos mais graves, podem revelar-se debilitantes. A sensação de balanço e de equilíbrio do corpo humano depende do funcionamento pleno dos seguintes órgãos: olhos, ouvidos e nervos sensoriais. Se, por algum motivo, o cérebro não conseguir processar toda a informação que recebe destas áreas, pode ocorrer uma tontura.

Sintomas das tonturas

Para além da desagradável sensação física que é uma tontura em si, a verdade é que as tonturas podem ainda assim desencadear outros sintomas. As vertigens, náuseas, perturbações visuais, cabeça leve, desequilíbrio, sensação que vai cair, sentir tudo a andar à roda, sensação de desmaio, fraqueza e fadiga são os principais sintomas associados às tonturas.

Principais causas das tonturas

No que toca às tonturas na menopausa estas devem-se, em grande parte, às alterações hormonais que caracterizam esta fase na vida de uma mulher. A redução dos níveis de estrogénio durante a menopausa produz alterações nos vasos sanguíneos e no sistema nervoso, o que pode desencadear tonturas. Outras causas mais genéricas das tonturas incluem: desidratação, alimentação insuficiente, hipoglicemia (baixo nível de açúcar no sangue), tensão arterial baixa, artrite, constipação, gripe, infeções virais, AVC, problemas cardíacos e efeitos secundários de determinados medicamentos. 

O que desencadeia o quê?

Por outro lado, existem estudos que apontam para o facto de alguns dos sintomas mais populares da própria menopausa poderem desencadear tonturas, nomeadamente os afrontamentos, perturbações dos ouvidos, dores de cabeça, ataques de ansiedade e/ou de pânico.

Como lidar com as tonturas na menopausa

Nem todas as mulheres menopáusicas sofrem de tonturas, mas se tem tendência para isso, uma das coisas mais fáceis de fazer para evitar e atenuar essas crises passa por evitar alterações bruscas de posição: levantar, baixar, sentar ou deitar-se muito rapidamente. Para além disso, é extremamente importante determinar qual a fonte dessas tonturas – será um efeito secundário de algum medicamento que possa estar a tomar? Será que o stress, a ansiedade e as alterações de humor tão características da menopausa estão a desencadear as tonturas? Poderão as tonturas estar associadas a outro problema de saúde que não a menopausa? É importante chegar à causa real das tonturas para poder tratá-las eficazmente. Por vezes, pode passar por melhorar o estilo de vida, através de uma alimentação mais saudável, a prática de exercício físico ou de atividades relaxantes. A medicina alternativa pode ser outra solução.

Quando deve ir ao médico?

Qualquer sintoma persistente deve ser discutido com o seu médico assistente e deve ir ao médico se, associado às tonturas, sentir ou sofrer qualquer um destes sintomas adicionais: pescoço rígido, lesão na cabeça, perturbações na visão e/ou na fala, febre, desmaios e/ou perda de consciência, dor no peito, fortes palpitações cardíacas, dificuldades respiratórios, hiperventilação, vómitos persistentes, convulsões, membros superiores/inferiores adormecidos ou imóveis.

A sua votação: